Ademir Oliveira, delegado do caso do vereador acusado de estupros (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Do G1

O técnico em enfermagem, bacharel em direito Jamerson Dantas, foi preso, na manhã desta quarta-feira (24), sob a acusação de estupro de uma criança e um adolescente. Ele é candidato a vereador do Recife. Policiais civis cumpriram um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara da Infância e Juventude da capital e efetuaram a prisão na casa da mãe do acusado, no bairro de Caixa-D’água, em Olinda, Região Metropolitana.

Os detalhes foram repassados durante coletiva de imprensa, na sede do Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), no bairro da Madalena, Zona Oeste da capital pernambucana. De acordo com o delegado Ademir Oliveira (foto), os crimes foram cometidos há dois meses. A denúncia teria partido de uma das vítimas, um garoto de 13 anos. "O menino procurou a delegacia para relatar, denunciar o estupro", contou.

Além do adolescente, uma menina de 10 anos teria sofrido os abusos. Os dois passaram por exames para comprovar os abusos sexuais. A polícia também investiga um terceiro caso envolvendo um menino de 8 anos. Todos passaram por exames sexológicos para comprovar os abusos. Segundo Oliveira, o acusado era amigo das famílias das vítimas.

"No caso da menina, ele prestava serviços de enfermagem à avó materna da criança, era amigo da família da criança, frequentava a casa deles. A mãe da criança frequentava a casa de Jamerson. E, através desse trabalho de conquista da confiança, num determinado dia, ele pegou a criança de dentro de casa e a levou para a casa dele. A mulher dele não estava em casa, e lá ele praticou o sexo", disse o delegado.

Oliveira informou também que o menino de 8 anos é parente da menina. "Ele valeu-se do mesmo expediente da relação de confiança com a família e chegou a praticar atos libidinosos com esse menino, ele já foi ao IML (Instituto de Medicina Legal, em Santo Amaro) e estamos esperando laudo (sexológico) para dar prosseguimento ao inquérito", afirmou.

Atualizado em 24/08/16 às 00h00

http://www.leiaja.com/sites/default/files/enviados-2015/DSC_2235.jpg

O prejuízo com a corrupção custou cerca de R$ 25 milhões ao município de Catende, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. A informação foi divulgada pela Polícia Civil ontem ao detalhar a Operação Longa Manus, deflagrada na última sexta-feira no Recife e em Catende. A polícia também anunciou a conclusão das investigações da Operação Tsunami.

De acordo com a delegada Patrícia Domingos (foto), a organização criminosa dirigida pelo prefeito do município, Otacílio Alves Cordeiro (PSB), "era uma verdadeira máquina de fraudes" em processos licitatórios. Além do gestor, participavam do esquema a primeira-dama e secretária de Ação Social, Maria José Alves Cordeiro, o secretário de Finanças, Ronaldo Alves Cordeiro, membros da Comissão Permanente de Licitação e diversos empresários. "A família Alves Cordeiro sangrou a Prefeitura paulatinamente nesses sete anos de gestão", disse a delegada.

Iniciada em outubro de 2015, a operação Tsunami apontou que a rede de fraudes atingia desde a organização de eventos e obras, até abastecimentos em postos de gasolina. Conforme as investigações, empresas selecionadas para construções devolviam 90% do valor cobrado em depósito na conta de Ronaldo Alves Cordeiro. De acordo com o delegado Izaías Novaes, também responsável pelas investigações, um posto de gasolina chegou a receber R$ 3,5 milhões por combustível.

Contra o prefeito de Catende ainda pesam outras denúncias. Em conversa pelo celular com seu filho, interceptada pela polícia, ele cogitou espancar e matar uma testemunha. Otacílio ainda cogitou tentar afastar a delegada das investigações. Aconselhado por um médico e amigo da família, Otacílio ainda é acusado pelo policiais de simular dores para não cumprir prisão no Cotel. Segundo os investigadores, ele se referia ao hospital como "hotel", onde poderia receber visitas a qualquer momento e comer comidas melhores.

Atualizado em 23/08/16 às 00h00

Leia mais:O prejuízo com a corrupção custou cerca de R$ 25 milhões ao município de Catende

PM removeu cartuchos de emulsão explosiva em depósito de lixo em Olinda (Foto: Bruno Lafayete/WhatsApp)

Duas ações da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) podem ajudar a localizar uma quadrilha responsável por tentativas de explosão e arrombamentos de caixas eletrônicos. Os casos foram registrados nos últimos dias, em Olinda, no Grande Recife. São eles: a prisão de um paulista com passagens por presídios de São Paulo e a localização de explosivos em bom estado de conservação.

Na sexta-feira (19), a PM prendeu um suspeito de vender dinamite, em Jardim Fragoso. Já no sábado (20), moradores da Cidade Tabajara localizaram pelo menos seis quilos de cartuchos de emulsão explosiva em um contêiner usado como depósito de lixo. “Acreditamos que as duas ocorrências têm ligação e vamos investigar em parceria com a Polícia Civil”, afirmou o subcomandante do 1º Batalhão da PM, major Daniel Pereira.

Segundo ele, uma das investidas a caixas eletrônicos em investigação foi realizada em um supermercado no bairro de Caixa-D’água. Na ocasião, os bandidos se assustaram com a chegada da polícia e deixaram equipamentos, ferramentas, explosivos e grampos de ferro no local. “Chegamos bem perto deles”, afirmou o oficial.

Na ação da sexta-feira, os policiais receberam a informação sobre a presença do paulista, que tinha acabado de chegar à comunidade. Com ele, os policiais encontraram 2,5 quilos de cocaína pura e 500 gramas de crack.

Horas depois, no sábado, a Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) foi acionada para remover pelo menos 20 cartuchos de emulsão explosiva de um contêiner. Também havia no depósito de lixo uma grande quantidade de grampos de ferro, iguais aos usados para furar pneus de viaturas e dificultar as perseguições policiais.

Atualizado em 21/08/16 às 00h00

Droga estava em malas escondidas dentro da caminhonete (Foto: Divulgação/PM)

Um total de 80 kg de maconha foram apreendidos após uma caminhonete de luxo capotar na manhã deste sábado (20) em Gravatá, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, ao ver as viaturas da PM, o motorista do veículo perdeu o controle do automóvel e capotou na BR-232.

 “Os policiais pararam para ajudar e localizaram a maconha", informou o tenente-coronel Silvestre Dantas. Ainda segundo a PM, a droga foi encontrada em malas, que estavam na caminhonete.

Três homens foram detidos e conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Gravatá. Eles foram ouvidos e autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. O trio foi levado para o Presídio de Vitória de Santo Antão.

Atualizado em 20/08/16 às 00h00

Operação 'Falcão' da Polícia Civil de Pernambuco cumpriu 14 mandados de prisão (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

A Polícia Civil de Pernambuco realiza, nesta sexta-feira (19), uma ação para desarticular uma organização criminosa e combater furtos qualificados no Recife, Região Metropolitana e interior. Os agentes envolvidos na ‘Operação Celular’ estão cumprindo seis mandados de prisão preventiva, sendo cinco contra pessoas já recolhidas no sistema penitenciário, além de três mandados de busca e apreensão domiciliar.

Essa é a 23ª operação de repressão qualificada realizada pela Polícia Civil em 2016. A ação é resultado de uma investigação feita pela Delegacia de Polícia do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife.  Foram mobilizados 36 policiais civis, entre delegados,  comissários, agentes e escrivães.

Os presos e os materiais apreendidos estão sendo  encaminhados para a Delegacia de Polícia no bairro do Cordeiro. Os detalhes da investigação que culminaram na 'Operação Celular' serão divulgados na segunda-feira (22).

Repressão

A “Operação Celular" foi deflagrada um dia depois de outra ação da Polícia Civil.  Na quinta-feira (18), um policial militar do 6º Batalhão e outras 11 pessoas foram presas durante a Operação ‘Falcão’. De acordo com o delegado Salustiano Albuquerque, da Diretoria Integrada Especializada da Polícia Civil de Pernambuco, a ação desarticulou uma organização criminosa acusada de tráfico de drogas, homicídios, roubos e extorsão em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

A Polícia Civil de Pernambuco também cumpriu mais dois mandados de prisão contra alvos que já estão no sistema penitenciário. Um suspeito ainda está foragido. Além dos 15 mandados de prisão previstos, os agentes cumpriram 13 mandados de busca e apreensão domiciliar em Jaboatão, e Camaragibe, no Grande Recife, além de Ribeirão, na Zona da Mata Sul, e Caruaru, no Agreste.

Atualizado em 19/08/16 às 00h00

Leia mais:Polícia deflagra nesta sexta-feira ação para combater furtos e cumpre nove mandados

G1/Caruaru

Uma operação da Polícia Civil - denominada "Cidade Alta" - cumpre nesta quarta-feira (17), 14 mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão contra uma associação criminosa em Recife, Gravatá, Caruaru, Arcoverde e Sertânia, em Pernambuco, e Maragogi, em Alagoas. Segundo a polícia, o grupo é suspeito de roubo, adulteração de sinais identificadores de veículos, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas.

Até a publicação desta matéria, três pessoas foram presas em flagrante. Entre os suspeitos, estão o Secretário de Igualdade Racial de Sertânia e um servidor público do Detran de Arcoverde, conforme informou a assessoria da Polícia Civil.

Os presos e os materiais apreendidos serão levados para a sede da 14ª Delegacia Seccional da Polícia Civil em Caruaru. Um balanço parcial da operação será divulgado às 9h desta quarta pelo Delegado Sérgio Moura, Gestor de Controle Operacional do Interior 1.

Atualizado em 17/08/16 às 00h00

Assalto ao Bancoi do Brasil de Condado (Foto: Reprodução de WhatsApp)

Do G1

Mais uma madrugada explosões, tiros e pânico para moradores de cidades pernambucanas. Bandidos realizaram três investidas contra agências bancárias, nesta sexta-feira (12), no interior do estado. Foram duas ações em  Ribeirão, na Zona da Mata Sul, e uma em Condado, na Zona da Mata  Norte. Em Bairro Novo, em Olinda, no Grande Recife, houve a tentativa de arrombamento a um prédio de uma instituição financeira.

Em Condado, os dez ladrões agiram com muita violência. Eles chegaram ao banco por volta das 3h30.  Usaram muitos explosivos e danificaram  completamente a agência do Banco do Brasil, a única da cidade. Testemunhas relataram que os criminosos também dispararam vários tiros.

“Foram pelo menos 20 minutos de muito barulho”, afirmou uma vizinha. Na fuga, saíram efetuando disparos no meio da cidade. Quem mora perto do banco, teve prejuízo material. Com o impacto dos explosivos, paredes e muros de residências foram comprometidos e alguns chegaram a cair.

A investida contra o Banco do Brasil de Condado foi a quarta ocorrência nos últimos anos. Das outras vezes, informaram os moradores, os bandidos arrombavam caixas eletrônicos. Desta vez, no  entanto, eles acreditam que os bandidos queriam levar o dinheiro do cofre.

Em Ribeirão, os criminosos explodiram caixas eletrônicos do Santander. Também tentaram arrombar uma agência do Bradesco. Como em ações semelhantes registradas no estado, nos últimos meses, jogaram grampos de metal nas ruas e estradas para tentar impedir ou retardar a chegada da polícia.

No Santander, houve destruição do prédio. Em junho, a mesma agência tinha sido alvo dos ladrões. No Bradesco, apenas a porta foi forçada.

Grande Recife

Em Olinda, os policiais do 1º batalhão foram acionados para uma ocorrência no Banco Itaú. Por volta das 4h30, bandidos tentaram arrombar a agência. No local, segundo relatos de m oradores, havia muita fumaça.

Atualizado em 12/08/16 às 00h00

Cigarros foram apreendidos pela Polícia Civil em Buíque (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Dois homens - um de 27 e o outro de 58 anos - foram presos com 13.960 mil cigarros na terça-feira (02) em Buíque, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, os cigarros eram contrabandeados do Paraguai.

A polícia informou que os cigarros eram comercializados no município - ao todo, foram apreendidas 698 carteiras. Eles foram presos durante a "Operação Reflorestar", com objetivo de coibir práticas criminosos na região, conforme a Polícia Civil.

Os suspeitos foram levados ao Presídio Brito Alves, em Arcoverde, no Sertão, onde permanecem à disposição da Justiça.

Atualizado em 03/08/16 às 00h00

agência dos Correios de Sirinhaém onde gerente foi feito refém (Foto: Ascom Polícia Federal/ WhatsApp)

Em pouco mais de sete meses de 2016, o número de investidas criminosas contra agências dos Correios em Pernambuco já é igual aos registros feitos pela Polícia Federal em todo o ano de 2015. De janeiro até agora, ocorreram 25 casos, sendo 16 arrombamentos, oito assaltos e uma explosão. No ano passado, a PF contabilizou 13 arrombamentos e 12 assaltos, totalizando as mesmas 25 ações.

Os dados foram repassados pela PF, na manhã desta quarta-feira (03), um dia depois da ação ousada de bandidos em Sirinhaém, no Litoral Sul do estado. Na manhã de terça-feira (2), criminosos invadiram a agência e fizeram uma cliente e o gerente reféns. Os dois foram liberados horas depois. De acordo com a PF, o número de armas levadas pelos bandidos em 2016 é maior do que em todo o ano passado. Este ano, os ladrões levaram seis armamentos, em pouco mais de sete meses, contra cinco em 2015. Desde o ano passado, a PF prendeu 35 suspeitos de ações em agências dos Correios e da Caixa Econômica Federal e desarticulou cinco quadrilhas especializadas.

Sirinhaém

A PF em Pernambuco também detalhou, nesta quarta, como ocorreu a ação em Sirinhaém. A investida durou 10 minutos e foi executada por pelos menos três suspeitos, ainda não identificados. Eles chegaram em um Gol de cor prata e, após entrarem armados na agência, já foram mandando todas as pessoas deitarem no chão. Em vários momentos, ameaçaram o gerente e alguns clientes que estavam  na agência apontando a arma para a cabeça.

Os bandidos em todo o tempo ameaçavam matar o gerente se ele não abrisse o cofre da agência. O funcionário disse à PF que o equipamento possuía um dispositivo de retardo que só abria em horário determinado. Os bandidos também levaram dinheiro e celulares dos clientes. A assessoria de comunicação da PF pede a colaboração da população para encontrar os ladrões. As informações e denúncias podem ser feitas através do Disque-Denúncia pelo número 3421-9595! Quem quiser colaborar terá sua identificação, sigilo e anonimato preservados.

Insegurança

Atualizado em 03/08/16 às 00h00

Leia mais:Em 2016, o número de crimes em Correios já é igual ao de 2015 inteiro em Pernambuco

Buscar Notícia

Conectados Online